Casa das bandeiras

casa das bandeiras

Por que visitar a Casa das bandeiras?

Visite-nos e faça da nossa casa a sua bandeira e honra. Ao longo de mais de 80 anos de atividade, a Casa das Bandeiras tem sido distinguida de várias formas que muito honram as suas equipas, nomeadamente com o certificado ‘PME de Excelência’, em 2011, e com o selo de ‘PME Líder’ entre 2010/18, ambos símbolo de qualidade atribuídos pelo APMEI.

Quais são as funções das bandeiras?

As bandeiras assumem várias formas e feitios e têm mais do que uma função. As bandeiras nacionais são visíveis em cerimónias oficiais, estão hasteadas em edifícios públicos (como forma de pertença e orgulho) e são usadas em embaixadas, palácios, eventos políticos, competições desportivas, comemorações, entre outras.

Quais são os formatos das bandeiras?

Os formatos das bandeiras, em termos oficiais, podem divergir de país para país. Apesar do formato “padrão”, ou mais comum, ser retangular, as bandeiras oficiais da Suíça e do Vaticano, a título de exemplo, são quadradas. Também a bandeira do Nepal é diferente, feita de dois triângulos irregulares, é praticamente única no mundo.

Quais são as diferenças entre bandeiras nacionais e de países?

As bandeiras nacionais são visíveis em cerimónias oficiais, estão hasteadas em edifícios públicos (como forma de pertença e orgulho) e são usadas em embaixadas, palácios, eventos políticos, competições desportivas, comemorações, entre outras. As bandeiras de países são constituídas por diferentes elementos.

Quais são as funções das bandeiras?

As bandeiras assumem várias formas e feitios e têm mais do que uma função. As bandeiras nacionais são visíveis em cerimónias oficiais, estão hasteadas em edifícios públicos (como forma de pertença e orgulho) e são usadas em embaixadas, palácios, eventos políticos, competições desportivas, comemorações, entre outras.

Onde fica o Monumento às bandeiras?

O Monumento às Bandeiras é uma obra em homenagem aos Bandeirantes, que exploraram os sertões durante os séculos XVII e XVIII. Foi inaugurada no ano de 1953, fazendo parte das comemorações do IV Centenário da cidade de São Paulo. O Monumento está localizado no Parque do Ibirapuera, na área que compreende a Praça Armando de Salles Oliveira.

Quais são as homenagens aos bandeirantes?

As homenagens aos bandeirantes, contudo, não param apenas nessas esculturas: a sede do governo do Estado é conhecida como Palácio dos Bandeirantes. As principais rodovias de São Paulo também têm nomes que remetem aos sertanistas - como Anhanguera, Fernão Dias e a dos Bandeirantes.

Por que os bandeirantes eram vistos de maneira negativa até o século 17?

Eram, inclusive, vistos de maneira negativa até o século 17, quando tinham fama de mercenários e representavam um perigo para os aldeamentos, explica Iris. Três estudiosos, contudo, foram definidores para a mudança de perfil dos bandeirantes:

Quais são os tipos de bandeiras?

Bandeira de organização internacional - bandeira de organizações tais como as Nações Unidas, a União Europeia e a OTAN; Bandeira de entidades públicas ou privadas - inclui as Bandeiras representativas de organizações públicas ou privadas, tais como empresas, clubes ou universidades.

Como é feita a bandeira?

A adriça, então é esticada e atada à base do mastro. Os mastros da bandeira são muitas vezes rematados por placas redondas, esferas, pontas de lança ou por elementos simbólicos ( esferas armilares em Portugal, por exemplo).

Onde é feita a bandeira nacional?

A Bandeira Nacional deverá ser hasteada diariamente nos edifícios sede dos órgãos de soberania (Presidência da República, Assembleia da República, Presidência do Conselho de Ministros, Ministérios, Supremo Tribunal de Justiça e Tribunal Constitucional, Câmara Municipal e na Junta de Freguesia).

Quem criou a bandeira do Brasil?

Criada por um decreto de 18 de setembro de 1822, logo após a independência do Brasil, esta bandeira era composta de um retângulo verde e nele, inscrito, um losango ouro, ficando no centro deste o Escudo de Armas do Brasil. O autor desta bandeira foi o pintor Jean Baptiste Debret, com colaboração de José Bonifácio de Andrada e Silva.

Postagens relacionadas: