Teletrabalho recomendado

teletrabalho recomendado

Por que o teletrabalho é bom para o trabalhador e para a empresa?

Pode ser que não saiba, mas o teletrabalho é bom para o trabalhador e para a empresa. Este é económico para o funcionário, ao não investir no deslocamento para o escritório. Mas também pode ser uma vantagem competitiva para a empresa. Ter pessoas em fusos horários diferentes ajuda a fornecer atendimento 24 horas para os clientes.

Quais são as desvantagens do teletrabalho?

Pese embora o teletrabalho seja muitas vezes tido como algo positivo e desejado por muitos trabalhadores, não podemos deixar de fazer menção a algumas das suas desvantagens, designadamente no que respeita à inevitável dificuldade de manutenção de algumas rotinas e ao risco de isolamento do trabalhador.

Quem tem direito ao teletrabalho?

Por seu lado, o teletrabalho continua obrigatório no caso dos trabalhadores imunodeprimidos, trabalhadores com deficiência e grau de incapacidade superior a 60% e pessoas com dependentes a cargo que sejam doentes de risco e tenham de assistir às aulas à distância.

O que aconteceu com o teletrabalho?

O Governo vai deixar cair a recomendação do teletrabalho, anunciou esta quinta-feira a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, no final da reunião do Conselho de Ministros. “Deixa de existir a recomendação de teletrabalho. Como sabem, o teletrabalho já foi obrigatório e passou a ser recomendado.

Qual a importância do teletrabalho para as empresas?

Segundo os especialistas, o teletrabalho possibilita às empresas uma melhor gestão e planeamento dos seus fluxos de trabalho. Além disso ainda torna os processos de decisão mais rápidos e diminui a burocracia associada ao fluxo de trabalho.

Como promover o teletrabalho?

Assim, o teletrabalho deverá ser promovido sempre que a natureza da atividade o permita. Aqui estão dois pontos críticos quando se fala em teletrabalho. Toda a comunicação entre a empresa e o colaborador (profissional em teletrabalho) faz-se através de meios digitais (emails, Skype, chats, Zoom, etc.).

Qual o prazo para transição do teletrabalho?

Isso não irá descaracterizar o regime de teletrabalho; O empregador pode exigir que o teletrabalho seja encerrado e o empregado retorne para o regime presencial. O prazo para transição é de 15 dias. Esta mudança deve ser registrada como aditivo contratual.

Por que empregado e empregador optar pelo teletrabalho?

Existem diferentes motivos para empregado e empregador optarem pelo teletrabalho: Para a empresa (empregador), há uma diminuição nos gastos com seus colaboradores, haja vista que itens como vale-transporte e refeição não serão mais necessários.

Quais são os direitos do Trabalhador em Teletrabalho?

A lei estabelece que o trabalhador em teletrabalho goza dos mesmo deveres e direitos que os seus colegas em no regime de trabalho presencial”, nomeadamente no que concerne a: Proteção no âmbito dos acidentes de trabalho e doença profissional.

O que é o teletrabalho?

O Código do Trabalho determina que o teletrabalho consiste na prestação laboral realizada habitualmente fora das instalações da empresa e com recurso a tecnológicas de informação e comunicação (exemplos: computadores, tablets e telemóveis).

Qual a previsão legal para o teletrabalho?

Entre as disposições específicas da lei, a modalidade de teletrabalho deve constar expressamente no contrato individual de trabalho, que deve trazer também as atividades que serão realizadas pelo empregado.

O que diz a lei sobre o teletrabalhador?

Em princípio, deve manter-se o pagamento do subsídio de alimentação. O trabalhador continua a estar ao serviço da entidade patronal e a ter despesas com a sua alimentação. A lei não é clara relativamente a esta questão, mas indica que o teletrabalhador não deve receber menos do que receberia em regime presencial.

Postagens relacionadas: