Rinite alérgica

rinite alérgica

Como saber se tenho rinite alérgica?

Quando esses elementos passam pelo nariz (que funciona como um filtro), são imediatamente detectados pelo sistema imunológico, que reage em uma tentativa de proteger o organismo. A rinite alérgica pode ocorrer durante o ano todo, mas é mais frequente em épocas como outono e inverno.

Como prevenir crises de rinite alérgica?

A forma mais simples de se prevenir crises de rinite alérgica é evitando o contato com a substância que desencadeia os sintomas. Isso nem sempre é tão fácil. Carpetes, cortinas, tapetes e bichos de pelucia podem armazenar poeira e ácaros, e não devem fazer parte do quarto. Os ambientes da casa devem estar sempre bem ventilados e ensolarados.

Qual a importância da gestão da rinite alérgica?

A gestão da rinite alérgica é fundamental para o controlo da doença, assentando numa aliança que se estabelece, desde o início, entre o doente e o médico especialista. Estabelecer um diagnóstico assente na história clínica e em exames (como testes cutâneos e análises ao sangue)

Quais são os medicamentos para rinite alérgica?

Alguns dos medicamentos que podem ser usados no tratamento da rinite alérgica são a beclometasona, budesonida, propionato ou furoato de fluticasona ou furoato de mometasona, por exemplo.

Como tratar a rinite alérgica?

Na rinite alérgica, o tratamento medicamentoso passa, habitualmente, pela prescrição dos seguintes medicamentos ou remédios: Anti-histamínicos anti-alérgicos - é o tratamento mais comum, cuja ação por via sistémica se faz sentir na diminuição dos espirros, da rinorreia aquosa e do prurido nasal e ocular.

Quais são os fatores de risco para a rinite alérgica?

Geralmente, elas sofrem de outras doenças do trato respiratório, como asma e bronquite, ou, ainda, dermatite e conjuntivite alérgica. Os principais fatores de risco para o desencadeamento da rinite alérgica são:

Qual a diferença entre rinite mista e alérgica?

rinite mista: há mais de um agente causador, como bactérias e vírus. A rinite alérgica é causa por fatores genéticos ou ambientais. Existem muitas substâncias comumente no meio ambiente que são consideradas alergênicas e costumam potencializar os sintomas da rinite.

Quais são os sintomas da rinite alérgica sazonal?

Rinite alérgica sazonal: A rinite alérgica sazonal, chamada também de febre do feno, é aquela causada por pólen presente no ar durante as diversas estações do ano. Assim, algumas pessoas podem sofrer com os sintomas da rinite alérgica apenas em certas épocas do ano. Na primavera, por exemplo, há maior incidência de pólen nas árvores e nas flores.

Felizmente, a rinite alérgica é uma doença que pode ser prevenida e que tem várias formas de tratamento. Você sabia? Todos os medicamentos para tratamento de rinite têm efeitos colaterais adversos, como sonolência e ganho de peso, por isso é importante seguir apenas a dosagem recomendada pelo médico.

Quais são os fatores desencadeantes de rinite alérgica?

Quando ocorre a rinite alérgica?

Essa reação em geral acontece nos primeiros anos de vida, mas pode ser mais tardia. Exitem casos de rinite não alérgica. Saiba tudo sobre, clicando aqui. O que provoca rinite alérgica? Várias substâncias presentes no meio ambiente são alergênicas, mas predominam a poeira, o pólen e alguns alimentos.

Quais são as relações entre asma e rinite alérgica?

A rinite alérgica apresenta elevada prevalência no Brasil, evidenciada em recentes estudos epidemiológicos. A relação com a asma é estreita e a abordagem deve ser integrada. O diagnóstico clínico é suficiente na maioria dos casos, podendo ser confirmado por testes alérgicos.

Quais são as causas da rinite?

Em geral, essa inflamação pode acontecer por dois motivos: um deles é uma infecção causada por bactérias, vírus ou fungos (rinite infecciosa). O outro é pela reação exagerada do sistema de defesa do corpo a agentes alérgicos, como o pólen, o ácaro e a poeira doméstica (rinite alérgica).

Quais os sintomas da rinoconjuntivite alérgica?

Os principais sintomas incluem rinorréia aquosa, obstrução/prurido nasais, espirros e sintomas oculares, tais como prurido e hiperemia conjuntival, os quais se resolvem espontaneamente ou através de tratamento. (1) Diante da sua elevada prevalência em populações urbanas, alguns autores a denominam doença da civilização moderna.

Postagens relacionadas: